Como lidar com a pressão e o estresse sem “somatizar”

Vamos falar sobre ESTRESSE.

Vamos a definição:

Estresse pode ser definido como:
(a) a soma de respostas físicas e mentais causadas por determinados estímulos externos (estressores) e que permitem ao indivíduo (humano ou animal) superar determinadas exigências do meio ambiente;
(b) o desgaste físico e mental causado por esse processo

Antes de mais nada, não tenho a pretensão de dar respostas fisiológicas para o tema. Eu não sou médico e não tenho autoridade pra falar sobre o tema com profundidade. Mas o que vou fazer é procurar apresentá-lo a partir do ponto de vista de um empreendedor, um pai, marido, um cidadão que sou, exposto ao estresse em seu dia a dia e como tenho lidado com ele ao longo de meus mais de 21 anos de vida profissional e de quase 20 anos de casado, com 3 filhos, 10 mil funcionários, mais de 400 franqueados, empresas no Brasil, Colômbia, Argentina, EUA e China.

Pela definição, fica muito claro que o estresse é parte da existência humana. Ele está presente desde o nosso primeiro instante de vida após ao nascimento, quando respiramos a primeira molécula de oxigênio, usando os nossos pulmões. Este foi o nosso primeiro momento de estresse pós fase uterina. Isso porque tivemos que aprender a respirar usando os nossos pulmões e nos adaptarmos a esta nova realidade. Daí pra frente, a cada aprendizado, a cada queda, a cada palavra aprendida, cada mudança de série na escola, a cada prova de matemática, a cada conquista ou derrotas, fomos inexoravelmente submetidos ao estresse.

Toda situação externa, seja ela positiva ou negativa, nos desafia e causa estresse. Por exemplo, vamos falar de algo absolutamente positivo na vida de qualquer pessoa, mas que é fator externo altamente causador de estresse: Um filho. O estresse começa com a própria expectativa da gravidez, do período pré-natal, das possíveis doenças, da cirurgia ou parto normal, do nascimento, das noites mal dormidas, da primeira queda, da primeira febre, da primeira escola, dando um salto agora, da primeira namorada(o) e por aí vai… O estresse não é apenas associado a fatores externos negativos, mas também com toda e qualquer adaptação que somos submetidos.

Sendo assim, o indivíduo que tenha dificuldades em lidar com essas adaptações, seja por vários possíveis desequilíbrios, sofrerá algumas consequências físicas e/ou mentais decorrentes de seu estresse mal administrado. Sendo assim, eu considero que a carga e de estresse sobre um indivíduo não pode ser analisada de forma unilateral, mas sim considerando a vida dele como um todo. Ou seja, não seria correto analisar apenas a vida profissinal, mas sim o somatório de todas as experiências deste indivíduo e como ele lida com cada uma delas, resultando a quantidade de estresse que ele produz. Eu particularmente penso que alguns fatores agravam MUITO a produção do estresse numa pessoa, tais como:

1. RELACIONAMENTO COM O PASSADO – A maneira como a pessoa lida com o seu passado, com o que conquistou e principalmente com os seus fracassos, pode ser determinante na questão da produção do estresse. Mutas pessoas têm muita dificuldade em lidar com esta questão e acabam entrando num processo de LAMENTAÇÃO muito grande, o que é altamente estressante. Penso que o passado é algo que não volta mais. Sendo assim, o máximo que vc deve olhar para o passado é para aprender com os seus erros. Uma vez aprendidos, olhe imediatamente para frente, deixando de lado este passado sem carregá-lo nas costas. Lamentar-se é uma grande perda de tempo, já que o tempo não volta, é uma escolha inútil e grande produtora de estresse. APRENDA COM O PASSADO E IMEDIATAMENTE OLHE PRA FRENTE.

2. DIFICULDADE DE PERDOAR – Isso é muito comum e também está relacionado com o primeiro tópico, pois fala sobre acontecimentos passados, mas merece este destaque. PERDOAR faz mais bem a quem perdoa do que a pessoa perdoada. Perdoar é zerar a dívida de quem lhe ofendeu, do devedor, mas não significa dar um novo crédito a esta pessoa. É como mantê-la em seu SPC até que conquiste uma nova credibilidade com suas atitudes. Mas o ato de não perdoar, por mais que a pessoa se convença que não pensa no assunto, ela acaba sempre pensando, criando uma amargura, raiva, ressentimento, dentre outros sentimentos altamente corrosivos e produtores de estresse. PERDOE E NÃO CARREGUE MAIS ESTE PESO EM SUAS COSTAS.

3. ALINHE SUA FAMÍLIA COM OS SEUS OBJETIVOS – Os primeiros clientes que devem comprar o seu produto são os integrantes de sua família (não estou falando de parentes). Ou seja, sua família é sua mulher (marido) e filhos. Eles devem fazer parte de seu projeto, devem estar totalmente alinhados com ele, comprando ele, apostando nele. Eles devem se sentir donos do projeto juntamente com vc. Isso fará muito sentido na hora de vc viajar e trabalhar uma maior quantidade de horas, se necessário. Ou seja, todos se sentem pagando junto o preço porque todos sabem que vão desfrutar juntos. Uma família que não está alinhada acaba se tornando um fator de grande produção de estresse, pois vc ficará sempre dividido, com sentimentos de culpa e com constantes brigas por não haver acordo na hora de tomar as decisões. SUA FAMÍLIA SÃO OS SEUS PRIMEIROS CLIENTES.

4. TEMPO DE QUALIDADE VALE MAIS DO QUE QUANTIDADE DE TEMPO – Tá cheio de gente que chega em casa `as 5 da tarde, mas que quando está em casa a sua cabeça está no futebol, no trabalho ou em qualquer lugar menos em casa. O tempo de qualidade com a mulher transforma qualquer instante num alua de mel. O tempo de qualidade com os filhos transforma qualquer par de horas numa aventura. Quando se aprende a ter tempo de qualidade, vc multiplica o valor de seu tempo, dando conta de todas as suas responsabilidades com excelência. Um desequilíbrio no uso do celular, da internet, sem dedicar a sua família 100% de sua alma e entusiasmo, transmite uma mensagem muito negativa a eles, causando uma grande quantidade de estresse a longo prazo. QUALIDADE DE TEMPO.

5. RELACIONAMENTO COM OS SEUS FRACASSOS – A vida não é linear, previsível ou somente feita de sucessos. No meio do caminho, muitos fracassos farão parte da vida, principalmente daqueles que se proporão a realizar grandes feitos. Esses são os maiores colecionadores de fracassos. Cada fracasso deve ser encarado com aprendizado, como resultado da iniciativa de sua ousadia e usá-los como alavanca para a sua busca incansável pela realização de seus projetos. Este relacionamento com o fracasso faz valer o primeiro tópico, pois é justamente no passado, com exceção dos aprendizados, é que os fracassos devem ser depositados, ficando apenas uma maior vontade de prosseguir com ainda mais experiência. Não saber se relacionar com o fracasso faz com que muitos afundem na autopiedade, produzindo “toneladas” de estresse. DEPOIS DE APRENDER COM ELES, DEPOSITE OS SEUS FRACASSOS NO PASSADO.

6. EXERCÍCIOS FíSICOS – Este tópico eu sou bastante negligente. Quando adolescente, treinava voleibol 4 horas por dias, mas logo que comecei a trilhar uma trajetória de muitas viagens e compromissos que me absorveram dentro de minha mente, e eles acabaram ficaram de lado. Mas eu tenho certeza de que ainda vou vencer neste tópico. Os exercícios físicos tiram vc de sua caverna, produz uma série de substâncias em seu organismos que são saudáveis no processo do combate ao estresse, além de lhe abduzir por alguns instantes de todo processo cíclico de pensamentos circulares que produzem estresse. Seja na parte da manhã ou na noite, MOVIMENTE-SE.

7. CONVERSE COM O SEU CORPO – Há uns 4 anos, eu senti um efeito físico que nunca havia sentido antes. Numa reunião de franqueados, senti uma tontura. interrompi o meu discurso e chamei um diretor para dar continuidade, deixando todos muito preocupados comigo. Como nunca havia sentido isso, logo após fui ao médico e fiz uma bateria de exames. O resultado apontou que eu não tinha nada. Claro, logo cheguei a conclusão que havia algo em desequilíbrio no que diz respeito ao meu estresse. Não lutei contra isso e respeitei a mensagem que o meu corpo estava me dando, passando a mudar vários hábitos em meu dia a dia. Por exemplo, como sou uma pessoa altamente acelerada, passei a trocar o CAFÉ por chá de CAMOMILA após o almoço. Ou seja, deixei de lado a cafeína, um estimulante e passei a tomar um chá relaxante. Além disso, passei a adotar uma rotina de sono mais regular, pois para mim, dormir uma média de 4/5 horas por dia era natural. Adotei, o que no início era estranho para mim, uma rotina de dormir 8 horas por dia. Digamos que foi uma forma de eu retrinuir ao meu corpo o que tomei emprestado quando era mais jovem em busca da realização de meus projetos. Nunca mais tive esses sintomas 🙂 OUÇA O SEU CORPO E MUDE DE HÁBITOS SE NECESSÁRIO.

Bem, eu vou parar por aqui porque já está muito longo este post. Mas imaginem apenas alguém que tenha dificuldade em todos esses tópicos. Eu considero que a atitude mais preventiva com relação ao estresse é buscar estar equilibrado com pelo menos os 7 fatores acima.

Eu também costumo dizer que se o estresse é inevitável, aprenda a lidar com ele. E se possível, aprenda a gostar dele. Eu particularmente gosto da adrenalina do estresse. Como numa montanha russa que produz estresse, mas que no final vc quer ir de novo. Eu particularmente gosto do friozinho na barriga de falar em público, de gravar ou transmitir ao vivo, de iniciar um projeto, de uma competição, seja esportiva ou profissional etc…

Pra percorrer uma carreira de sucesso em sua exstência, neste caso eu falo de sucesso de forma bem ampla possível e não apenas na vida profissional, vc terá que correr riscos. Eu me casei com 20 anos. Um risco? Larguei a faculdade por uma carreira na área comercial. Um risco? Larguei um trabalho, já casado, ganhando U$ 7mil/mês pra abrir a minha primeira empresa com 20mil reais no cheque especial. Um risco? Abri 24 filiais nos primeiros 3 anos. Um risco? Bem, se eu não tivesse entendido que o estresse é parte natural da vida e tivesse me escondido dele, eu seria uma cara acomodado e estressado, já que a acomodação também gera um estresse. O estresse do remorso, o estrese do tédio, o estresse de uma vida de rotina sem aventuras, o estresse da falta de propósito. Francamente, já que o estresse é inevitável, eu prefiro muito mais o estresse do crescimento do que o tédio da comodação. Isso sim é insuportavemente estressante!

fonte: pagina geracao de valor em facebook.com/canalgeracaodevalor
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s