Arquivo da categoria: sucesso

Só faz algo grande quem enfrenta riscos

Jorge Paulo Lemann, um dos fundadores do fundo 3G Capital dono de empresas como a Kraft Heinz, o Burger King e AB InBev, é admirado por seus sócios por ser um visionário. Homem mais rico do Brasil, o empresário costuma dizer que sempre gosta de “inventar alguma maluquice”.

Lemann falou sobre uma característica da sua personalidade que está intimamente ligada ao seu inegável senso de oportunidade: uma disposição bem acima da média para arriscar.

“Eu acredito que as pessoas tomam pouco risco, deveriam tomar mais”, disse para uma plateia de 150 bolsistas e ex-bolsistas da Fundação Estudar. De acordo com ele, pessoas muito preparadas podem deixar de fazer coisas grandes…

leia mais em http://exame.abril.com.br/carreira/lemann-tem-um-conselho-para-quem-busca-algo-grandioso-na-carreira

O Efeito que a Disciplina pode ter em sua Vida

6h00 da manhã. O despertador toca. É segunda-feira. O dia está longe de clarear ainda e os termômetros marcam 4º Celsius na capital mais gelada do Brasil. Ainda assim, minha esposa acorda, coloca sua roupa e sai correr 10km.

Talvez ela nem se dê conta, mas o seu maior ganho com toda essa dedicação não é o seu condicionamento físico (que, claro, é muito bom também), mas o desenvolvimento de uma habilidade essencial para qualquer pessoa que aspire grandes realizações na vida: a disciplina. Isso é ainda mais valioso.

Disciplina é poder. Quanto mais…

leia mais em https://www.linkedin.com/pulse/o-efeito-que-disciplina-pode-ter-em-sua-vida-paulo-machado

AS COISAS NÃO FICAM MAIS FÁCEIS. VOCÊ FICA MELHOR.

Nao sacrifique a verdade

O medo de incomodar, o medo de perder popularidade, a compulsão em se sentir amado e querido, a falta de coragem em se posicionar, a complacência aprendida, o medo do mi mi mi, o hábito de enrolar e a incompetência para a agir tem criado pessoas “fakes” vivendo em mundos de fantasia.

“…Não se pode sacrificar a verdade pelo medo ou desconforto de saber que algumas pessoas sofrerão por conta dela…    Scher Soares”

fonte: discussao em grupo vocesa no linkedin.

Emprego não é prisão!

Não é um assunto tão simples quanto parece. A relação Trabalhador-Organização, pressupõe um nível de confiança em que as partes tenham abertura para conversar (e buscar alternativas) quando as coisas não vão bem. Infelizmente, sabemos que muitas vezes (acho que na maioria delas) não é assim.

Eu respondi o e-mail, explicando meu ponto de vista e meu entendimento de que as pessoas devem ter o direito a explorar opções e conversar abertamente quando identificarem que a relação atual não está tão bem… Nunca tive resposta.

Em última instância, eu acredito que…

leia mais em https://www.linkedin.com/pulse/emprego-n%C3%A3o-%C3%A9-pris%C3%A3o-alexandre-pellaes

Sob pressão: como trabalham aqueles que não podem errar?

Em uma sala de emergência, quem você atende primeiro: um idoso ou uma criança igualmente feridos? Como não travar, quando o trânsito está parado e você tem um órgão humano no banco de trás da ambulância, vindo ao encontro de uma pessoa que esperou meses na fila para recebe-lo? Como atender um paciente racista, que acabou te ofender em público e extraiu de você os sentimentos mais dolorosos? Como enfrentar a solidão após uma decisão de vida ou morte, tomada em momento de pura adrenalina?

Trabalhar sob pressão é uma realidade em qualquer…

leia mais em https://www.linkedin.com/pulse/sob-press%C3%A3o-como-trabalham-aqueles-que-n%C3%A3o-podem-errar-marc-tawil

Quase ninguém liga para o seu esforço. As empresas querem é resultado

Outro dia, em uma palestra sobre educação realizada na escola da minha filha, um psicólogo disse algo interessante: “Somente seus pais vão te reconhecer pelo seu esforço”. Aquilo me intrigou. Será que só teremos esse diagnóstico no campo afetivo? E nas empresas onde passamos mais da metade do nosso dia, como fica o nosso empenho?

A resposta é… não fica. Esforçar-se é uma parte do caminho. Um componente importante da trajetória para o sucesso, mas ainda sim um componente.

O que nos torna necessários no mundo corporativo chama-se resultado. Foi assim quando estive do outro lado da mesa, como colaborador dos jornais e emissoras de rádio pelos quais passei, e tem sido assim ao gerir a minha própria agência. Não somos contratados porque somos dedicados, mas

https://www.linkedin.com/pulse/quase-ninguém-liga-para-o-seu-esforço-empresas-querem-marc-tawil