Arquivo da tag: honestidade

Alguns motivos para você falar sempre a verdade

Uma dica: a verdade é sempre a melhor estratégia. Mentindo, você pode até vender um pouco mais por algum tempo. Mas só até perder sua credibilidade. Com estratégias verdadeiras, ficamos menos espetaculares nos argumentos. Porém, vendemos…

leia mais em http://geracaodevalor.com/blog/alguns-motivos-para-voce-falar-sempre-verdade/

Anúncios

Uma pescaria inesquecível

Ele tinha onze anos e, cada oportunidade que surgia, ia pescar no cais próximo ao chalé da família, numa ilha que ficava em meio a um lago. A temporada de pesca só começaria no dia seguinte, mas pai e filho saíram no fim da tarde para pegar apenas peixes cuja captura estava liberada.

O menino amarrou uma isca e começou a praticar arremessos, provocando ondulações coloridas na água. Logo, elas se tornaram prateadas pelo efeito da lua nascendo sobre o lago. Quando o caniço vergou, ele soube que havia algo enorme do outro lado da linha. O pai olhava com admiração, enquanto o garoto habilmente, e com muito cuidado, erguia o peixe exausto da água. Era o maior que já tinha visto, porém sua pesca só era permitida na temporada. O garoto e o pai olharam para o peixe, tão bonito, as guelras para trás e para frente. O pai, então, acendeu um fósforo e olhou para o relógio. Eram dez da noite, faltavam apenas duas horas para a abertura da temporada. Em seguida, olhou para o peixe e depois para o menino, dizendo:

— Você tem que devolvê-lo, filho !

— Mas, papai, reclamou o menino.

— Vai aparecer outro, insistiu o pai.

— Não tão grande quanto este, choramingou a criança.

O garoto olhou à volta do lago. Não havia outros pescadores ou embarcações à vista. Voltou novamente o olhar para o pai. Mesmo sem ninguém por perto, sabia, pela firmeza em sua voz, que a decisão era inegociável. Devagar, tirou o anzol da boca do enorme peixe e o devolveu à água escura. O peixe movimentou rapidamente o corpo e desapareceu. E, naquele momento, o menino teve certeza de que jamais veria um peixe tão grande quanto aquele.

Isso aconteceu há trinta e quatro anos. Hoje, o garoto é um arquiteto bem-sucedido. O chalé continua lá, na ilha em meio ao lago, e ele leva seus filhos para pescar no mesmo cais. Sua intuição estava correta. Nunca mais conseguiu pescar um peixe tão maravilhoso como o daquela noite. Porém, sempre vê o mesmo peixe repetidamente todas as vezes que depara com uma questão ética. Porque, como o pai lhe ensinou, a ética é simplesmente uma questão de certo e errado. Agir corretamente, quando se está sendo observado, é uma coisa. A ética, porém, está em agir corretamente quando ninguém está nos vendo. Essa conduta reta só é possível quando, desde criança, aprendeu-se a devolver o PEIXE À ÁGUA.

A história valoriza não como se consegue ludibriar as regras, mas como, dentro delas, é possível fazer a coisa certa. A boa educação é como uma moeda de ouro: TEM VALOR EM TODA PARTE.

fonte: http://www.contandohistorias.com.br/historias/2006209.php

A Prova

Olhem o que um professor é capaz de fazer. O fato narrado abaixo é real e aconteceu em um curso de Engenharia da USJT (Univ. São Judas Tadeu), tornando-se logo uma das “lendas” da faculdade…

Na véspera de uma prova, 4 alunos resolveram chutar o balde: iriam viajar. Faltaram a prova e então resolveram dar um “jeitinho”. Voltaram a USJT na terça, sendo que a prova havia ocorrido na segunda. Então dirigiram-se ao professor:

– Professor, fomos viajar, o pneu furou, não conseguimos consertá-lo, tivemos mil problemas, e por conta disso tudo nos atrasamos, mas, gostaríamos de fazer a prova.

O professor, sempre compreensivo:

  • Claro, vocês podem fazer a prova hoje a tarde, após o almoço.E assim foi feito. Os rapazes correram para casa e se racharam de tanto estudar, na medida do possível. Na hora da prova, o professor colocou cada aluno em uma sala diferente e entregou a prova:

    Primeira pergunta, valendo 1 ponto: algo sobre a Lei de Ohm.

    Os quatro ficaram contentes pois haviam visto algo sobre o assunto. Pensaram que a prova seria muito fácil e que haviam conseguido se “dar bem”.

    Segunda pergunta, valendo 9 pontos: “Qual pneu furou?”

fonte: http://www.contandohistorias.com.br/historias/2004039.php

A Origem da Corrupção

O Brasil não é um país intrinsecamente corrupto. Não existe nos genes brasileiros nada que nos predisponha à corrupção, algo herdado, por exemplo, de desterrados portugueses. A Austrália que foi colônia penal do império britânico, não…

leia mais em http://blog.kanitz.com.br/a-origem-da-corrup%C3%A7%C3%A3o.html

O Universo vai cuidar deles na hora certa

Como acabar com os malditos do senado que desviam dinheiro, Como acabar com esses porcos? Nao me diga para votar consciente. Estou com muita raiva.Nao adianta mais mostrar a corrupcao na TV. Nada acontece. Se tentarmos fazer algo eles nos matam.

A RESPOSTA: A corrupção é um dos grandes problemas da humanidade desde que o homem é homem. Realmente não tem jeito. Troca o cara, entra outro, se não for ele, alguém que trabalha com ele irá…

leia mais em http://www.bizrevolution.com.br/bizrevolution/2011/04/o-universo-vai-cuidar-deles-na-hora-certa-.html

O Universo vai cuidar deles na hora certa

A corrupção é um dos grandes problemas da humanidade desde que o homem é homem. Realmente não tem jeito. Troca o cara, entra outro, se não for ele, alguém que trabalha com ele irá se vender por dinheiro, status, ego ou qualquer coisa do gênero.

Conselho?

Viva a sua vida da melhor maneira possível.

Seja honesto – se você acredita…

leia mais em http://www.bizrevolution.com.br/bizrevolution/2011/04/o-universo-vai-cuidar-deles-na-hora-certa-.html

Lição Viva

Era uma tarde de domingo ensolarada na cidade de Oklahoma. Bobby Lewis aproveitou para levar seus dois filhos para jogar mini-golf.

Acompanhado pelos meninos dirigiu-se à bilheteria e perguntou:

— Quanto custa a entrada?

O bilheteiro respondeu prontamente:

— São três dólares para o senhor e para qualquer criança maior de seis anos.

— A entrada é grátis se eles tiverem seis anos ou menos. Quantos anos eles têm?

Bobby informou que o menor tinha três anos e o maior, sete.

O rapaz da bilheteria falou com ares de esperteza:

— O senhor acabou de ganhar na loteria, ou algo assim? Se tivesse me dito que o mais velho tinha seis anos eu não saberia reconhecer a diferença. Poderia ter economizado três dólares.

O pai, sem perturbar-se, disse:

— Sim, você talvez não notasse a diferença, mas as crianças saberiam que não é essa a verdade.

Tantas vezes, para economizar pequena soma em moedas, desperdiçamos o tesouro do ensinamento nobre e justo. Nesses dias de tanta corrupção e descaso para com o ser humano, vale a pena refletirmos sobre que exemplo temos sido para os outros.

Sejamos, assim, cartas vivas de lições nobres para serem lidas e copiadas pelos que convivem conosco.

fonte: http://www.contandohistorias.com.br/historias/2004146.php