Arquivo da tag: inovação

Tenha mais coragem diante das suas ideias

Quando uma ideia é realmente inovadora, ela sempre divide opiniões. Dentro das muitas chances de dar errado e das muitas chances de dar certo, ambas inerentes a condição disruptiva, você tem duas opções: estimular ou brecar. Ajudar ou se abster. Ser da torcida ou do contra. Mas a verdade é que a diferença entre o maluco e herói é só uma: o herói deu certo.

Vamos imaginar uma situação: Um conhecido seu dos tempos de escola decidiu, com 16 anos, disléxico e sem nenhuma experiência, largar os estudos e lançar uma revista estudantil. Todo dia você vai andando para a escola e vê ele, sem dinheiro, tentando vender anúncios pelo telefone público. O cenário econômico…

leia mais em https://www.linkedin.com/pulse/tenha-mais-coragem-diante-das-suas-ideias-caroline-lessa

10 coisas que ninguém lhe disse sobre ser criativo

Com base em sua apresentação no TEDx em 2012, Kleon nos mostra como “roubar” ideias de tudo o que nos rodeia e combiná-las entre si (juntamente com nossas próprias ideias) para criar algo inteiramente novo.

Este é um livro pequeno, mas com grande efeito. O li em pouco mais de 1 hora, mas tenho certeza que levarei suas dicas para o resto da vida (sem exageros).

Abaixo está um breve resumo de cada lição e como você pode implementá-las em sua vida como empreendedor, escritor, fotógrafo ou criativo em geral.

1- Roubar como um artista

Foi Mark Twain que disse uma vez:

“Não existe uma nova ideia. É impossível. Nós simplesmente pegamos um monte de ideias antigas e, então, as colocamos em um tipo de caleidoscópio mental”.

Nada é original. Cada trabalho criativo tem e sempre terá sido influenciado por outra coisa.

O que você pode fazer?

Ao invés de…

 

leia mais em https://www.linkedin.com/pulse/10-coisas-que-ninguém-lhe-disse-sobre-ser-criativo-matheus-de-souza

Os novos criativos

São aqueles conseguem enxergar, nas atividades cotidianas, aquilo que ninguém viu ainda.

Quinta-feira, 2 de junho, 16h35, palestra de Max Gehringer no primeiro dia da Career Fair. Sala lotada e muitas gargalhadas durante 1h30 de apresentação. Para quem não viu, aí vai uma das tiradas de Mr. Max sobre a comédia que é a vida corporativa:

Quando entrevistava candidatos a emprego na empresa em que trabalhava, adotei o hábito de, no final da conversa, entregar um isqueiro para cada um, como brinde. Dois tipos de resposta acabavam com os candidatos:

— Obrigado, eu não fumo.

ou

— Obrigado, como você sabia que eu fumava?

Quem só consegue enxergar num isqueiro uma única finalidade (acender cigarros) tem um sério problema de criatividade. Uma candidata me ganhou na hora em que olhou o isqueirinho e se saiu com essa: “Obrigada, isso aqui vai ser ótimo para lixar as unhas’.”

Em resumo, é o seguinte: até em anúncio de emprego para faxineiro se pede alguém criativo. Hoje, isso significa ser capaz de olhar para o que todo mundo está olhando e enxergar algo diferente. Esse olhar diferenciado é para ser exercitado diariamente, nas mais diversas atividades corporativas. Como você pode fazer melhor, mais rápido ou mais barato? Como satisfazer ainda mais o cliente? O criativo de hoje busca essas respostas o tempo todo.

fonte: http://www.contandohistorias.com.br/historias/2004328.php

O que provoca a inovação?

O co-fundador da Polaroid, Edwin Land, disse que “O teste de uma invenção é o poder do inventor de vencer a indiferença (não a oposição) da sociedade.” As grandes idéias são geralmente evitadas ou ignoradas antes de serem aceitas. Faz sentido os inventores tenderem a ser firmes: eles não se importam com as falhas, não se importam com que os outros pensam, e eles estão dispostos a trabalhar muito duro.

Baseando-se em alguns inventores, oferecemos aqui, algumas das características que qualquer pessoa criativa faria bem em desenvolver:

1. Produza e teste mais idéias
Os maiores inovadores produzem muito mais idéias do que seus concorrentes e pares. Poucos demonstraram isto melhor do que Thomas Edison, que obteve 1093 patentes – um recorde ainda a ser quebrado. Ele sabia que a persistência e a produtividade eram a chave para as…

leia mais em http://www.comunicageral.com.br/emailmkt/visualizar.php?key=6fb0006d9e3d8b1&id=1405886

Universidade Pés Descalços na Índia

Eu assisti alguns dias atrás um vídeo sobre a universidade Pés Descalços da Índia. Esta universidade tem por objetivo fornecer aos muito pobres (menos de um dólar por dia de renda) conhecimentos que lhes permitam viver com dignidade. Muito interessante é o que eles chamam de “engenheiras solares”, ou “solar engineers”, que são mulheres que aprendem eletricidade e como obter energia solar para iluminação e energia para suas aldeias.

O projeto está disseminado em praticamente toda a Índia e agora estão trabalhando também…

leia mais em http://www.dicas-l.com.br/dicas-l/20120228.php

E você, já tentou adaptar o mundo ao que você acredita?

“O homem razoável se adapta ao mundo, ao passo de que o homem desarrazoado insiste em tentar adaptar o mundo a si mesmo. Por isso, todo progresso depende do homem desarrazoado”. Essa frase (que fica bem melhor em inglês) é do dramaturgo…

leia mais em http://blog.lojadeconsultoria.com.br/inspiracao/aprenda-com-historias-fantasticas-e-voce-ja-tentou-adaptar-o-mundo-ao-que-voce-acredita/

Inovação em serviços: uma área esquecida no Brasil. Até quando?

Antes de sair criticando suas falhas, como é o nosso padrão cultural (sempre é mais fácil destruir do que criar), é de ressaltar o seu propósito, sua direção e, principalmente, as bases nas quais foi construído: inovação, áreas estratégicas, desoneração da folha de pagamentos e reforço do fluxo de caixa das empresas.

O setor de serviços representa mais de 65% do PIB no Brasil e tem importância crescente na economia. É unanimidade entre os economistas que a atual pressão inflacionária possui sua origem no setor de serviços, que vem aumentando seus preços de forma contínua e crescente nos últimos anos. É fundamental aumentar a produtividade nesse setor e a inovação é fator-chave.

As empresas de serviços herdaram os conceitos da…

leia mais em http://www.hsm.com.br/artigos/inovacao-em-servicos-uma-area-esquecida-no-brasil-ate-quando