Arquivo da tag: servir

Antes e depois do Capitalismo

Afinal, você nasceu para servir a quem?

Antes do Capitalismo a galera ficava rica pilhando, saqueando, invadindo, estuprando, escravizando outras pessoas e outros povos. Depois do Capitalismo as pessoas ficam ricas servindo outras pessoas.

E se você acha que não é assim é porque você vive, convive, e trabalha para pessoas que aproveitam da Liberdade que o Capitalismo proporciona para detonar o sistema capitalista.

O Capitalismo não é sobre bancos, sistemas financeiros, políticos corruptos, especulações, oligopólios, monopólios, oligarquias, plutocracias, elites, blá blá blá.

O Capitalismo é o sistema do POVO!.

O Capitalismo é o “jogo” que permite a existência de milhões de pequenas e médias empresas.

HOJE existem mais de 6 milhões de pequenas empresas somente no Brasil.

Na era do d.pedro II e família, existiam negócios apenas para a turma ligada a família dos caras.

Capitalismo significa Cérebro e não dinheiro.

Capitalismo é a Era do Cérebro.

Aqueles que pensam, criam, inventam, produzem, inovam, empreendem VÃO GANHAR DINHEIRO.

Aqueles que trabalham feito robôs, esperam recompensa por tempo de serviço ou qualquer coisa do tipo vão rodar.

O problema é… uma vez que essa ficha já caiu para milhões de pessoas… você tem hoje 156 pizzarias no seu bairro, 245 coachs morando no seu condomínio de 400 apartamentos, 1.234 pessoas se dizendo guru de marketing digital, 34.594 lojas de roupas femininas comprando e revendendo o mesmo produto do Bom Retiro, blá blá blá.

O desafio é… você TEM QUE APRENDER a falar com a mais ABSOLUTA CLAREZA sobre qual PROBLEMA EXATAMENTE você resolve para QUEM!!!

O QUÊ PARA QUEM!

O quê?

Para quem?

Você precisa me ajudar a entender como você REALMENTE se diferencia dos outros 4.564 concorrentes que você tem na sua comunidade!!!

Você consegue responder essa pergunta com a mais ABSOLUTA e CRISTALINA resposta?????

PENSA!

Afinal, você é um Capitalista de verdade ou mais um cara aproveitando uma oportunidade de mercado para ganhar dinheiro o mais rápido possível?

Capitalistas, LEVANTE-SE!!!

ARREBENTA!!!

QUEBRA TUDO! Foi para isso que eu vim! E Você?

fonte: http://www.bizrevolution.com.br

Ninguém é indispensável

É certo que ninguém é indispensável na vida.

Através da história vemo quantos atravessaram, partiram, alguns deixaram
grandes marcas, outros apenas simples pisadas, mas toda a humanidade
sobreviveu mesmo quando os grandes nomes partiram.

O fato de não sermos indispensáveis,porém, não implica não sermos
necessários e importantes.

Uma gota de água é sempre uma gota de água a mais,
uma pétala, um meio a mais para aumentar a …

leia mais em http://www.contandohistorias.com.br/historias/2006426.php

A Era de Trabalhar para os outros ACABOU! Vivemos na era de Trabalhar pelos outros!

A Era de Trabalhar para os outros ACABOU! Vivemos na era de Trabalhar pelos outros!

Querida(o) Amiga(o),

O Christian da Tríade do Tempo enviou algumas perguntas para eu responder. Em breve ele vai lançar a entrevista no blog dele, enquanto não sai por lá, confira por aqui o que eu tenho a dizer sobre o que eu já fiz, o que eu faço, e o que eu vou fazer.

1 – Como você fez sua carreira, quais suas principais realizações?

Carreira??? Nunca pensei nisso, nunca pensei nessa palavra, acho muito esquisita, sempre pensei em ser o MELHOR DO MUNDO em uma ou duas coisas e ponto. Eu sempre olhei a minha vida com uma vida gerenciada por projetos. Desde sempre eu falei para mim mesmo que eu DEVERIA CRIAR ALGO TODOS os anos. Há muito tempo atrás em uma galáxia far far away, quando eu tinha um curriculo, eu organizava o bicho por projetos anuais, e não por empresas ou cargo. Vou listar abaixo alguns deles.

1989 – Lançamento do primeiro web site de comércio eletrônico do Brasil em BBS (resultado: nunca vendemos nada, ninguém nem entendia o que estávamos fazendo, mas contribuiu para amarrar a Brasoftware com o mundo da inovação), lançamento da primeira operação de vendas de produtos de informática por catálogo do Brasil (resultado: sucesso total, em 1993 imprimiamos 250 mil de tiragem por mês).

1990 – Lançamento da primeira loja de de informática do Brasil, participação no lançamento de dezenas de pequenas software-houses (resultado: criação de trocentos empregos, cultura de software no Brasil, participação na abertura da Microsoft no Brasil etc. Eu posso dizer que o catálogo de Brasoftware foi um dos pioneiros em educar o cliente sobre software, hardware etc, além de ter contribuido para a criação de centenas de empresas que miraram a Brasoftware como modelo).

1991 – Lançamento do primeiro programa de fidelidade do mercado de informática do Brasil, se chamava e ainda se chama FRIENDS (resultado: arrebenta tudo até hoje);

1992 – Lançamento do marketing cooperado no Brasil (resultado: 100% de todas as atividades de marketing da Brasoftware sempre foram bancadas com as verbas dos fornecedores. Nunca precisamos desembolsar nenhum dinheiro. Essa prática fez escola, e até hoje é amplamente utilizada por todo o mercado).

1993 – Ampliação das lojas da Brasoftware (resultado: 3 lojas, evangelização de clientes, naquela época a Brasoftware era um dos poucos lugares onde os vendedores tinham paciência para explicar aos clientes o que era informática), participação matadora na Fenasoft, feira anual de informática que chegou a atrair mais de 1 milhão de pessoas anualmente no Anhembi).

1994 – Partipação no lançamento dos primeiros jogos para computador do Brasil. (Resultado: mudança completa na cultura de informática no Brasil, popularização geral do computador entre os brasileiros, a Brasoft foi a primeira empresa a trazer games para o Brasil, LucasArts, Sierra, Eletronic Arts e muitos outros, quando todos achavam que jogos era uma coisa de moleque, nós da Brasoft achávamos que era o bicho)

1995 – Lançamento do primeiro web site de comércio eletrônico do Brasil, o site da Brasoftware, dois anos antes da Amazon, a Brasoftware já tinha loja virtual. (Resultado: não vendemos nada por muitos anos, o primeiro pedido chegou em 1997 ou 1998; hoje, o web site é o principal canal de vendas da Brasoftware, e mesmo doze anos depois, quase ninguém conseguiu fazer o que fizemos em 1995).

1996 – O desenvolvimento das pessoas. O atual diretor de vendas, marketing, gerentes comerciais, gerentes de território e técnicos da Brasoftware hoje foram meus estagiários anos atrás. (Resultado: ninguém faz nada sozinho, BUT, se não houver alguém terrivelmente agressivo afim de fazer coisas diferentes, nada vai sair)

1997 – Lançamento da BizRevolution, antes de blog ser blog, email ser email, eu comecei a enviar os meus textos para todo mundo que eu conhecia (resultado: 160 mil pessoas cadastradas no site, e a possibilidade de viver a vida que eu quiser), saída da Brasoftware, entrada na Tech Data (resultado: troca da segurança, dinheiro, status, liberdade por algo totalmente desconhecido. O primeiro ano foi penoso, MAS NUNCA me arrependi. Sempre quis trabalhar perto dos americanos, falar inglês todos os dias, entender como os gringos pensam, e criar tudo de novo. O trabalho valeu a pena. Em 1997 nasceu o projeto do primeiro comércio eletrônico B2B do Brasil, em 12 meses 30% da vendas aconteciam via web. O site da Tech Data fez escola, eu fui premiado com os prêmios mais altos entregues pela corporação a um funcionário.

1998 – Lançamento de toda uma série de atividades de marketing de evangelismo, educação dos clientes, catálogos, campanhas de marketing de incentivo. (Resultado, muitas vendas, mas acima de tudo o que mais conta foi ver o desenvolvimento profissional do mercado de tecnologia. Antes de 1998, quase 100% dos produtos de informática eram contrabandeados para o Brasil. Com o fima da reserva de mercado, o Brasil precisava de distribuidores profissionais para alavancar o varejo e o mercado corporativo).

1999 – O sucesso do comércio eletrônico no Brasil me transformou no web guy mundial da Tech Data. Na América Latina eu fui responsável por implementar o comércio eletrônico na Argentina, Chile, Uruguai e Peru. (Resultado: sucesso destroier, até hoje o comércio eletrônico é o principal veículo de marketing da Tech Data. O atual líder do comércio eletrônico no Brasil e América Latina foi meu estagiário).

2000 – Início dos cursos da BIZ e palestras a noite e finais de semana, criação do site da BIZ, centenas de milhares de pessoas começavam a conhecer, fazia tudo de madrugada, durante o dia continuava na Tech Data. Projeto do ano: a conquista da marca Tech Data para a Tech Data Corp. Quando chegou ao Brasil em 1997, a marca Tech Data pertencia a uma micro empresa que ficava na São Paulo. A TD ainda não estava no Brasil, mas visando um dia ganhar muito dinheiro com isso, o cara pegou a marca da Tech Data. Por conta disso, a Tech Data desembarcou no país como TD Brasil. Eu achava isso um absurdo, e mesmo contra a vontade dos advogados da corporação e do Pinheiro Neto (escritório caríssimo que na época assessora a Tech Data Corpo no Brasil), eu entrei na briga com a micro empresa brasileira tendo ao meu lado apenas um pequeno escritório de marcas & patentes. Depois de 3 ou 4 anos de vai e vem, finalmente conseguimos o direito da marca Tech Data no país sem pagar nenhum tostão ou subornar ninguém. Hoje, Tech Data é Tech Data. Se eu não tivesse ido atrás e investigado os meandros das leis, até hoje a Tech Data seria TD Brasil.

2001 – Criação do TD Magic, o mais legal de todos os projetos até o momento. O TD Magic estava e ainda está 10 anos a frente da cabeça do mercado de informática. Ainda assim, o TD Magic funcionou enquanto estava por lá. Hoje, foi desativado. O TD Magic era um software que permitia a criação de lojas virtuais integradas com o sistema de comércio eletrônico da Tech Data. A partir do TD Magic qualquer revendedor poderia ter um site fantástico, com design customizado, com contéudo de fotos, textos e preços em apenas alguns minutos. Em 2001, conseguimos levantar 62 lojas virtuais. BUT, a falta de cultura e pessoas qualificadas dentro dos clientes matou a ferramenta. (Resultado: muitas vendas, super diferencial, projeto assassinado alguns anos depois que eu sai).

2002 – Saída da Tech Data, mergulho de cabeça na BIZREVOLUTION. Mais uma vez eu largava algo no topo, em 2000 a Tech Data faturou 500 milhões no Brasil com 120 funcionários. BUT, eu sou um cara IDEALISTA, e caras IDEALISTAS não trabalham por satisfação pessoal ou pelos 4Ps tradicionais de markerting. Pessoas idealistas trabalham por Paixão, Propósito, Pessoas e Progresso.

2003 – Início dos projetos de consultoria, lançamento da B4B, reinvenção de um pequeno distribuidor nacional de produtos de informática que se chamava Darck Technologies. (Resultado: Em 2007 a B4B era reconhecida como a principal distribuidora de produtos de informática para o varejo brasileiro, faturamento de 50 milhões de reais em 2007).

2004 – Ano de palestras, cursos, escritos, crescimento da BIZ, lançamento dos posters, início de diversos outros projetos de consultoria, todos para pequenas empresas, como LSK, Computer Company, Ikeda, Vox Editora, Dana (essa é grande), Rolemak, Assisnet, Star Computer. (Resultado: reinvenção de todas elas. Todo projeto que eu me meto transforma a empresa, muda a marca, a direção, o escopo do trabalho etc).

2005 – Lançamento do livro QUEBRA TUDO. (Resultado: 3 mil cópias vendidas, 18 meses para lançar, um saco! um calvário! as editoras são lentas demais, o negócio é primeiro se tornar um blogueiro famoso, criar o seu próprio contéudo e público).

2006 e 2007 – A consolidação dos projetos de consultoria que se iniciaram deze meses antes, o contínuo crescimento da BIZREVOLUTION, (resultado: eu ainda posso trabalhar no que eu quiser a hora que eu quiser, levando uma vida que permite dividir o tempo com a família).

2008 – Início de um novo ciclo, lançamento de um novo grande projeto, início dos trabalhos na AMD, palestras e cursos da BIZ, escritos, escritos, escritos, HollyCEO, (resultado, o ano vai terminar completamente diferente do que começou)

2 – Como surgiu a idéia da BizRevolution e o que você faz na Biz hoje?

Todo mundo tem um amigo que sente prazer em cozinhar para os outros, não tem? Você pergunta para o cara qual é a satisfação dele em fazer comida para os outros, e ele simplesmente diz que se sente bem em fazer isso. É exatamente isso que eu sinto. Eu simplesmente, desde sempre, gosto de divulgar as coisas que eu gosto para os outros. Quando criança eu chamava os amigos em casa para escutar as novas músicas dos Beatles que eu aprendia a conhecer, na adolescência era a mesma coisa com livros, filmes de cinema, lugares. Quando cresci essa habilidade natural de compartilhar as coisas que eu gosto se transformou na BIZ. Desde que me comecei a trabalhar na Brasoftware em 1989, eu divulgava os artigos que lia nas revistas para os colegas. Quando surgiu o e-mail, eu vi imediatamente na ferramenta uma oportunidade de multiplicar a promoção dos artigos para todas as pessoas que eu conhecia.

Nunca houve qualquer intenção de fazer marketing pessoal, ou querer algo em troca. O propósito sempre foi simplesmente promover o que eu acredito, ouça quem quiser, goste quem quiser.

A BIZ hoje é uma consultoria de marketing para pequenas empresas que querem de verdade dar um salto, mudar as coisas. Essa consultoria é muito própria. As idéias que eu coloco em prática não seguem nenhum manual, não existe a biblía da bizrevolution nem qualquer fórmula para nada. Simplesmente estudo a empresa rapidamente, e procuro sugerir diferenciais que ninguém faz. Eu acredito que sou muito bom em descobrir o problema da empresa e rapidamente definir um curso para fazer acontecer. Até hoje todos os projetos deram certo. O negócio dá tão certo que eu sou mandado embora e perco o cliente. Consultor bom é aquele que fica 3 ou 6 meses e cai fora. Atualmente a BIZ possui 6 projetos de consultoria em curso. Além da consultoria eu faço palestras in company, cursos abertos e escrevo.

O que eu mais gosto de fazer??

Escrever e Vender.

A BIZ me satisfaz no lado escrita da coisa. No lado vendas ainda não. Mas, muito em breve, entra a segunda bizrevolution no ar para completar as coisas que eu realmente gosto de fazer.

3 – O que uma empresa de pequeno porte precisa ser/fazer para vencer a batalha de David/Golias?

Assumir que é uma empresa pequena e aproveitar as vantagens de ser pequena. Não se tornar uma empresa mascarada com estilo de empresa corporativa, com grandes salas para os chefes, salas de reunião, planos de carreira, organogramas e todas as burrocracias que existem nas grandes empresas. Aproveite que é pequeno para conversar com os funcionários, trocar idéias, assegurar que todos falam a mesma língua, implementar novas idéias com extrema velocidade.

Aproveite que você é pequeno para conhecer os clientes pelo nome. A pequena empresa está para o açougue tanto quanto a grande empresa está para o hipermercado. Na pequena empresa o presidente da empresa tem que vender, atender o telefone, falar com os clientes, fazer visitas a clientes; vestir o jaleco do açogueiro e não a gravata do planilheiro de hipermercado.

A idéia vale também para a definição do negócio principal da empresa. Se o pequeno não faz algo, não diga que faz. Divulge APENAS aquilo que você é MUITO BOM. Acrescente novidades trimestralmente, ou a cada seis meses. A pequena não pode parecer para o cliente que é uma empresa estacionada onde nada muda. Apreveite que é pequeno para CRESCER, com calma, trimestralmente.

4 – Quais os principais erros e acertos que uma empresa deve evitar e acertar no seu marketing nos dias atuais?

O principal erro é não dar continuidade às coisas que faz. O cara torra dinheiro em uma feira, expõe os seus produtos, coleta 150 cartões de visita, mas ninguém faz qualquer tipo de acompanhamento nos cartões de visita no período pós-feira. Se o empresário ou marketeiro acompanhasse as atividades que coloca em prática, desde as propostas enviadas até pós-venda em cima de produtos vendidos no passado, os negócios seriam bem diferentes.

5 – Como funciona seu processo produtivo? Como você consegue pique para escrever tanto e diariamente?

Gênios produzem. Não que eu seja um gênio, longe disso. Mas o gênio para mim é o cara que transforma a sua vida em um cotidiano de hábitos positivos feitos regradamente na mesma hora no mesmo dia até que as coisas começam a ser feitas com maior facilidade.

Nesse momento eu estou respondendo a 5a pergunta que você enviou. Quanto tempo você imagina que eu levei para escrever tudo até agora? Alguns minutos. As idéias saem da cabeça em uma tacada só. Os textos do QUEBRA TUDO são a mesma coisa. Eu levo 30 minutos para escrever um texto. Isso acontece porque eu escrevo todos os dias e leio todos os dias, como faço cocô e como todos os dias.

Onde encontro o pique? Não sei exatamente. Simplesmente nasci gostando de fazer isso. Sou auto-motivado de berço, não preciso de professor, não preciso de aula, não preciso de chefe, não preciso de ninguém em cima de mim me cobrando sobre o que eu tenho que fazer. Eu faço. Just do it!

6 – O que você lê para achar as coisas que coloca no seu blog? Como gerencia seu conhecimento pessoal?

Leio todas as revistas, sites, livros, autores e artigos que eu já mencionei e continuo a mencionar no site. Eu não tenho nenhuma fonte ultra secreta escondida. Tudo que eu descubro eu conto quando posso.

Eu gerencio as coisas que eu gosto através do Google Reader, diretórios criados em um disco de 1 terabyte com milhares de pdfs, ppts, fotos e ebooks coletados diariamente na web há pelo menos 15 anos. Tudo organizado por tipo de matéria, como marketing, crm, tecnologia, liderança, estratégia, inovação, filosofia, quebra de paradigmas etc e disponíveis para eu acessar quando preciso.

7 – Como você organiza sua rotina e produtividade pessoal? O que você não consegue fazer?

Eu gostaria de fazer mais do que eu faço. Eu gostaria de ler 10 livros por semana, não consigo, leio menos que isso, mas leio MUITO MAIS do que 99% das pessoas. Devo ler o equivalente a 10 livros por mês, não sei bem, entre livros, artigos e revistas.

Eu durmo 5 horas por dia há mais de 20 anos. Somente de sábado para domingo eu durmo 7 ou 8 horas. As vezes eu vou a um restaurante, mas não fico mais do que 35 minutos entre pedir o prato, comer e cair fora. Todo o tempo que eu tenho é voltado para ler, escrever, me preparar para atuar nos clientes. Preparação é tudo!!! Já falei isso duzentas vezes e vou continuar a repetir!!! Não perco o tempo com nada que não esteja vinculado a fazer o que eu tenho que fazer hoje ou amanhã.

Qual é a cotação do dólar hoje? Sei lá, não me interesa hoje, informação inútil e irrelevante para o meu dia de hoje. Quanto precisar saber vou atrás. Eu não sei um monte de coisas, mas simplesmente não me interessa saber.

Hoje, com o iPhone, Wireless e Podcastings, eu praticamente estou 21 horas por dia conectado a algum tipo de artigo que estou lendo, estudando e arquivando.

Infelizmente, a BIZ ainda não é uma revista ou um portal exclusivo de conhecimento. Talvez um dia se torne apenas isso, quando acontecer, eu asseguro que nenhum site de negócios do Brasil terá tanta promoção de coisas novas e INDEPENDENTES (sem rabo preso com ninguém) e sob novos ângulos quanto a BIZREVOLUTION.

Talvez 2009 seja o ano desse foco completo em promoção de conhecimento. Vamos ver.

Na minha vida tem a BIZ e a minha famiília. Mais nada.

Sou completamente apaixonado pelos meus filhos, troco tudo por eles, me emociono todos os dias quando eu chego em casa e boto os olhos no Alexandre e na Maria Beatriz e os vejo sorrindo e brincando. O meu tempo é deles sempre que eles quiserem. Troco tudo por eles. Por conta disso, trabalho de madrugada, quanto todos estão dormindo.

8 – Quais suas metas para os próximos 5 anos e 20 anos?

Eu serei o MELHOR escritor de negócios + filosofia do Brasil ou talvez do mundo. Eu terei também um grande negócio comercial com um vínculo social profundo. Eu vou entrar na política de alguma maneira, e chegar o mais alto possível nessa matéria. Desde criança, todos os testes vocacionais que eu fiz, apontavam para o Trabalho Social. Eu me emociono todas as vezes que faço algo de graça para os outros. Esse tipo de coisa me arrepia, não sei explicar. Nasci para isso. Eu realmente acredito nisso. E me satisfaço completamente fazendo o bem para os outros. Tenho que estar envolvido nisso, a BIZ já é isso, mas eu quero mais.

9 – O que você acha da polêmica e do amor e ódio que você tem com os seus leitores?

A questão é que eu nunca fiz nada pensando no que eu vou receber em troca. Tudo que eu faço é do fundo da alma. Eu tenho 38 anos, tenho completa consciência de que tenho milhares de coisas a melhorar ou mudar, um dia, quem sabe, eu vou crescendo pessoalmente, vencendo os obstáculos, para chegar o mais longe possível.

Gostem ou não, eu vou continuar fazendo, nada vai me parar ou impedir de dizer o que eu sei e sinto HOJE. Eu apenas posso assegurar que aqueles que não gostam terão que me engolir, ou melhor, assumir que as coisas que eu digo FUNCIONAM se o cara somar com o que sabe e colocar em prática.

10 – Se você pudesse resumir, como é possível ter sucesso empresarial no mundo web de hoje?

A internet traz ferramentas de baixíssimo custo para ajudar as pessoas a criar e manter relacionamentos com outras pessoas.

Relacionamentos é o que interessa!

A web simplesmente vai ajudar a cumprir o destino do marketing e dos negócios: SERVIR AOS OUTROS através do real entendimento do que essas pessoas precisam mesmo quando não sabem explicar.

Aquele que utilizar a web para MANTER contato com os clientes VAI VENCER.

Aquele que utilizar a web para OBSERVAR os clientes IRÃO VENCER.

O “manter contato” pode ser traduzido pelo lançamento contínuo de produtos e serviços, contato humano usando a tecnologia, comunicação 1-a-1, liderança 1-a-1.

11 – Qual sua missão de vida? Pelo que você faz seu tempo ter sentido?

Meses atrás eu mencionei o filme EU SOU A LENDA no site da BIZ e alguns não entenderam o motivo. A minha missão de vida é exatamente igual a missão de vida do personagem do Will Smith no filme. Will Smith encarna a vida de um doutor obcecado por resolver os problemas da humanidade. No caso, eliminar um vírus que transformou a raça humana em uma espécie de zumbi-vampiro noturno. O personagem do Will Smith poderia ter fugido de Nova Iorque e dos zumbis noturnos e se refugiado em um local seguro onde poderia levar uma vidinha egoísta e medíocre. Entretanto, ao invés da saída fácil, ele resolve permanecer em Nova Iorque e encontrar a cura para os caras. No final do filme, na última cena, ele fala sobre a sua missão de vida, “Eu escolhi ficar aqui… e levar a minha vida… porque eu acredito que a missão do ser humano… é iluminar a escuridão”. A minha missão é exatamente essa: iluminar a escuridão. Pode parecer pretencioso, mas é a verdade.

Vivemos em um mundo, e um país, tão carentes de carinho e amor fraternal, de luz ou exemplos de coisas boas, que eu quero ser um dos caras que vai iluminar a escuridão daqueles que não tem tempo para buscar luz.

Foi para isso que eu vim!

Eu sei exatamente o que eu tenho que fazer.

E Você?

QUEBRA TUDO! Foi para isso que eu vim! E Você?

fonte: http://www.bizrevolution.com.br/blog